Escolher Menu

Últimas Notícias

CONCURSOS

POLÍTICA

POLICIAL

GERAL

TRÂNSITO

» » “Lei do Comércio” deve voltar ao plenário da Câmara Municipal


PINHEIROFOTO 20:05



Vereadora Caetana Frazão justifica ausência na semana passada, mas não antecipada voto

Imperatriz – O debate sobre a polêmica votação da “Lei do Comércio”, que visa regulamentar o horário de funcionamento dos estabelecimentos comerciais, inclusive nas principais datas comemorativas e em dias feriados, volta a ser tema de debate na Câmara Municipal de Imperatriz.

A vereadora Edneusa Caetana Frazão justificou ao utilizar a tribuna “Freitas Filho” que teve que viajar na semana passada para resolver questões familiares, razão da qual não pôde comparecer a sessão de terça-feira (3) quando ocorreu o exaustivo debate e a votação do Projeto de Lei nº 018/2015, de autoria do Poder Executivo Municipal de Imperatriz.

“Marquei uma audiência na Secretaria de Estado das Cidades do Governo do Maranhão, acompanhado do deputado estadual Marco Aurélio; fomos solicitar informações sobre o restante dos documentos dos títulos definitivos das casas da Vila Cafeteira”, reitera ela, ao citar que o governo estadual entregou apenas 60% dos documentos aos moradores.

Ela considerou de fundamental importância a ida até São Luís, pois estava sendo abordada constantemente pela comunidade sobre o andamento do processo de regularização fundiária desses imóveis na grande Vila Cafeteira.

“A votação ocorrida na semana passada ganhou repercussão não somente local, mas praticamente em todo estado ficando empatado em 10 a 10, cujo projeto deve retornar ao plenário para o desempate”, disse ela, que não quis antecipar o voto em relação à matéria que será votada, possivelmente, ainda nesta semana no plenário da Câmara Municipal.

Caetana Frazão reiterou que pretende “buscar essa sabedoria em Deus quando da votação desse projeto e adiantou que recebeu dezenas de ligações telefônicas, inclusive a do pastor da igreja Missão Sul Maranhense”. “Nós estamos próximo de concluir esse mandato, faltando pouco mais de um ano, devendo observar com cautela essas decisões”, concluiu.

Nenhum comentário

Leave a Reply