Escolher Menu

Últimas Notícias

CONCURSOS

POLÍTICA

POLICIAL

GERAL

TRÂNSITO

» » » » GOVERNO DO ESTADO RECUPERA VIA DE ACESSO À ESTRADA DO ARROZ


PINHEIROFOTO 08:18




O Governo do Estado está recuperando a Avenida Principal, mais conhecida como Estrada da Facchini, em Imperatriz. A via liga a BR-010 a MA 386 – a Estrada do Arroz - e será mais uma alternativa de acesso para a zona rural e também para Cidelândia, desafogando uma parte do trecho urbano da rodovia federal.

Com o investimento de R$ 3 milhões serão 13 km de asfalto e a previsão para conclusão nos próximos 20 dias. O secretário de Estado da Infraestrutura, Clayton Noleto, destacou a importância socioeconômica da obra. “Vai complementar a obra da Estrada do Arroz, facilitar o tráfego das comunidades e a produção local, colaborando para a economia da região”.

Os motoristas aprovaram a iniciativa. “É um serviço mais que necessário. Havia muitos buracos que dificultavam a passagem dos veículos. Agora, vamos poder usar a estrada com mais segurança e conforto”, disse o analista de logística, Raimundo Silva.

Estrada do Arroz
                                                                                                                                                   As obras da Estrada do Arroz estão em fase de conclusão. As pontes Cinzeiro I e II, Pequizeiro e São Félix foram finalizadas. As de Angical, Olho d’Aguinha, Bom Jesus e Domingão estão em andamento. Quanto à pavimentação, mais de 80% da rodovia recebeu o asfalto, restando os encontros das pontes.

A obra contempla 47 quilômetros de pavimentação e mais de 11 de recuperação, além da construção de nove pontes de concreto, o que beneficiará mais de 30 comunidades. Também estão sendo recuperados cerca de 72 quilômetros de estradas as vicinais que ligam as comunidades à Estrada do Arroz, beneficiando moradores de 25 comunidades rurais.

 A previsão de término é para março, mas a população já comemora a melhoria na qualidade de vida. “Antes aqui era muita poeira e lama. O acesso no inverno era difícil, era um atoleiro só. Agora, o percurso até a cidade já está mais rápido”, conta a estudante Dayane Costa. (Ass. Sinfra,Janaína Amorim).

Nenhum comentário

Leave a Reply