Problemas do Mercadinho reúnem prefeito e atacadistas



Num ponto todos concordam: o Mercadinho, do jeito que está, não pode continuar - operações de carga e descarga a qualquer hora do dia ou da noite e as calçadas tomadas por mercadorias, expondo o pedestre ao perigo - foram essas as questões que reuniram, ontem, o prefeito Assis Ramos, e o presidente do Sindicato dos Atacadistas, Eraldo Moura.

Do encontro também, participaram o vereador Hamilton Miranda (PP) e o secretário de Planejamento Urbano, Fidelis Uchoa. O tema ganhou relevância desde que o prefeito anunciou que vai por ordem no Mercadinho que, além de sujo, é um dos mais severos gargalos do trânsito de Imperatriz.

Pelo que planeja a Prefeitura de Imperatriz, as operações de carga e descarga só se dariam entre as 18h00 e as 06h00 do dia seguinte. Já o Sindicato dos Atacadistas, alegando que Imperatriz é a única cidade que possui "atacado de balcão", sugeriu que essas operações se façam em espaços exclusivos.


Deixando claro que não vai abrir mão de estabelecer a ordem no Mercadinho, o prefeito de Imperatriz destacou que "esse é o momento de se dialogar. Não queremos prejudicar, mas sim organizar, regulamentar e fiscalizar"- deixou claro Assis Ramos.


O secretário Fidelis Uchoa disse que os estudos prosseguem e que, tão logo concluídos, os atacadistas serão chamados para uma nova rodada de conversações. "Como em toda cidade evoluída, Imperatriz vai encontrar sua solução e, com certeza, ele virá o mais breve possível, para o bem de todos e sem prejudicar ninguém"- garantiu Uchoa.