.

.

VEREADOR DITOLA CASTRO SOLICITA GOVERNO DO ESTADO INTERCEPTAÇÃO DE ESGOTOS DESPEJADOS NO RIO CACAU


O vereador Ditola Castro solicitou por meio de indicação, nesta terça-feira (21), ao governo do Estado do Maranhão que determine à Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão (CAEMA) que construa uma rede coletora e interceptores de esgoto ao longo da parte do rio Cacau que corta a cidade de Imperatriz, desde o Parque Alvorada I até sua foz no rio Tocantins.

Segundo o vereador Ditola Castro, o rio mais importante que corta a cidade, embora temporário, é o Cacau, cujo trajeto passa pelo Parque Alvorada I, Parque Alvorada II, Vilinha, Habitar Brasil, Bacuri e Parque Anhanguera. Todos estes bairros despejam esgoto in natura no leito do rio Cacau, o que causa um impacto ambiental importante e concorre para causar doenças à população. Ressalta-se que a população dos bairros próximos ao rio Cacau chega a cerca de 80 mil pessoas.

Considerando que, de acordo com Brasil (1993), NBR nº 7229/93, o volume de efluentes domésticos [esgotos] pessoa/dia é da ordem de 200 litros, o volume de efluentes despejado in natura nos rios e riachos da cidade de Imperatriz, é enorme.

A foz do rio Cacau localiza-se cerca de 800 metros a montante do sistema de captação de água da CAEMA, o que indica que esta empresa está captando água com alto nível de poluentes, cujo tratamento requer mais recursos financeiros e produtos químicos para deixá-la adequada ao consumo humano.

Tudo isto junto, causa preocupação e justifica medidas para evitar que efluentes [esgotos] industriais e domésticos continuem a ser despejados no rio Cacau e nos riachos que cortam a cidade, o que concorrerá para diminuir a carga de poluentes no rio Tocantins com impactos negativos para o meio ambiente natural e humano.

Por fim, o vereador Ditola Castro, destacou a importância do governo do Estado em sensibilizar-se com a população de toda região que vai ser contemplada com a rede coletora e interceptores de esgoto ao longo do trecho do rio Cacau que corta a cidade.

Ribamar Silva / Ascom Gabinete