.

.

Governo do Maranhão realiza 1ª Conferência Estadual de Vigilância em Saúde Fonte: SES

Ao longo do ano, sete Conferências Macrorregionais


Para debater o papel da Vigilância em Saúde no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS) e a responsabilidade dos gestores na efetivação desta política de saúde, o Governo do Maranhão, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES), promove a 1ª Conferência Estadual de Vigilância em Saúde, nos dias 19 e 20 de outubro, no Hotel Veleiros, em São Luís.

Ao longo do ano, sete Conferências Macrorregionais ocorreram para definição de propostas que serão apresentadas nas etapas estaduais e nacionais. A etapa nacional está prevista para o período de 21 a 24 de novembro, em Brasília.

O secretário adjunto de Política de Atenção Primária e Vigilância em Saúde da SES, Marcelo Rosa, ratificou a importância das Conferências Macrorregionais de Vigilância em Saúde para a construção de políticas públicas eficazes. “As conferências são históricas, pois é a primeira vez que o SUS se reúne especificamente para discutir a política de vigilância em saúde. Anteriormente, só se discutiam as ações da questão hospitalar e assistência. Agora, o Conselho Nacional de Saúde, de forma muito acertada, convocou esta Conferência temática que serve para propor novos caminhos na área de vigilância”, afirmou.

Com o tema ‘Vigilância em Saúde: Direito, Conquista e Defesa de um SUS Público de Qualidade’, a 1ª Conferência Estadual de Vigilância em Saúde vai discutir mecanismos democráticos de participação social e de modelos de gestão, visando à redução das desigualdades e o desenvolvimento sustentável.

Além de palestras e oficinas, as discussões também percorrerão eixos temáticos sobre governança, participação social e diálogo federativo, financiamento do desenvolvimento regional, desigualdades regionais e critérios de elegibilidade e vetores de desenvolvimento regional sustentável.

O superintendente de Vigilância Sanitária Estadual, Edmilson Diniz, explica que no campo da saúde, a vigilância está relacionada às práticas de atenção e promoção da saúde dos cidadãos e aos mecanismos adotados para prevenção de doenças. “O trabalho de prevenção que é feita na atenção primária associado ao trabalho em vigilância em saúde fortalece a qualidade da saúde de cada território melhorando os indicadores de saúde”, disse.

Edmilson Diniz esclarece, ainda, que as ações de vigilância sanitária estão focadas no controle de bens, produtos e serviços que oferecem riscos à saúde da população, como alimentos, produtos de limpeza, cosméticos e medicamentos e a realização das macrorregionais em vigilância são essenciais para identificar o que precisa mudar nos processos de trabalho.

“Se você tem uma rede de vigilância atuante e funcionando, naturalmente você tem mais atividade de ação, de promoção e proteção à saúde. Dessa forma, reduzimos o agravo à saúde da população, o que significa que menos pessoas doentes no município que vão procurar a assistência, seja na atenção primária, média ou alta complexidade”, afirmou o superintendente.