OAB Subseção Imperatriz visita comarcas de Estreito e Porto Franco


A diretoria da OAB Imperatriz se reuniu com a de classe de advogados das cidades vizinhas, para reforçar os laços da advocacia na região.

Na sexta-feira (04/08), a diretoria da OAB Subseção Imperatriz com o presidente Heleno Mota, a vice-presidente Celma Baiano, o líder da comissão de ética e disciplina Jetete Guimarães e o líder da comissão das prerrogativas Bruno Guilherme visitaram as cidades de Estreito e Porto Franco visando aproximar cada vez mais a relação entre a Subseção e as respectivas comarcas dos municípios.

O objetivo é integrar e fortalecer a classe jurídica da região, numa forma de traçar melhores condições na rotina de processos e ações que cada advogado desenvolve.

De manhã, a diretoria se reuniu com a comarca de Estreito, onde na oportunidade foi oferecido um café da manhã, e logo em seguida diversos contextos da advocacia foram debatidos, numa troca de informações e experiências visando melhorias, a conservação da ética na profissão e a defesa das prerrogativas.

Já na parte da tarde, os mesmos pontos foram abordados, mas dessa vez na cidade de Porto Franco, com o objetivo de analisar o exercício da advocacia no município, propor apoio, analisar a estrutura geral de trabalho dos advogados na cidade e defender os direitos da classe na cidade.

“A Subseção Imperatriz busca constantemente a proximidade com as comarcas da região. Procuramos sempre saber das necessidades dos advogados, analisar o relacionamento dos colegas com o judiciário, ministério público, delegacia de polícia, detectar o que falta na infraestrutura no exercício do trabalho e convidar a todos das comarcas na região a participar das ações da OAB Imperatriz, buscando de uma forma generalizada, aproximar e integrar cada vez mais a classe”, pontuou o presidente Heleno Mota.

A diretoria fez questão de levar o presidente da comissão de ética e disciplina, Jetete Guimarães e o presidente da comissão de prerrogativas, Bruno Guilherme, pois uma das principais pautas debatidas em ambas as cidades, foi a de assegurar a prerrogativa da classe e os advogados exercerem sua profissão de forma livre.