Suzano inaugura produção de papéis sanitários em Imperatriz

“Depois da Belém-Brasília, a fábrica da Suzano tem sido a responsável pela evolução econômica de Imperatriz”, diz Assis Ramos
Acompanhado do vice-prefeito, Alex Rocha, e de todos os secretários, o prefeito Assis Ramos participou na manhã desta quarta-feira, 29, da inauguração da nova fábrica de papeis sanitários da Suzano Papel e Celulose S/A. A solenidade foi na unidade fabril da Estrada do Arroz e contou com as presenças do governador Flávio Dino, do ex-prefeito Sebastião Madeira e de toda a diretoria da empresa, que também oficializou o funcionamento da ‘Peróxidos Brasil’, na planta industrial de Imperatriz.


Durante a cerimônia, o presidente da Suzano, Walter Schalka, anunciou para o primeiro semestre de 2018 a operação da máquina de Tissue. “Já investimos mais de um bilhão de reais em 2016, mais de 500 milhões em 2017. Com capacidade inicial para 1,5 milhão; concluímos no último mês produção de um milhão 650 mil toneladas, uma das maiores produções individuais de celulose em nível mundial”, detalhou.


Em seu discurso, Assis enfatizou a importância do incentivo à produção industrial para a constante evolução econômica de Imperatriz: “Me enche de orgulho e honra participar desse momento de ampliação da fábrica da Suzano, do que conheço e já vivi na história de Imperatriz, dos vários estágios econômicos: arroz; madeira; agropecuária; e hoje o ciclo da industrialização, em que o carro-chefe é a Suzano. Se fôssemos escolher dois momentos mais importantes da cidade, sobretudo na questão econômica, eu elegeria a construção da Belém-Brasília, feita por Juscelino Kubitschek,que tirou Imperatriz do isolamento e lançou nossa cidade no cenário nacional, e agora, mais próximo de mim, foi justamente a implantação e ampliação da fábrica da Suzano, planta industrial de grande porte direcionada para cá pela então governadora Roseana Sarney”, observou, ao citar o papel decisivo do governo do Maranhão na instalação da fábrica em Imperatriz, em 2009:
“A Suzano trouxe números bons à nossa cidade, principalmente na geração de emprego e renda. Todos os cidadãos de Imperatriz sentem isso. A cara da cidade mudou nesses últimos anos. Como prefeito, devo reconhecer como a atuação da Suzano é imprescindível para manter o equilíbrio financeiro da gestão municipal. Com tudo que essa fábrica e seus parceiros têm contribuído com investimento nesta terra próspera. Em nome do povo de Imperatriz, parabenizo e agradeço à direção da empresa por trazer desenvolvimento e oportunidade”, finalizou.

Capacidade - Com 48 anos de história, a Peróxidos produzirá 12 mil toneladas de hidrogênio para suprir a demanda da Suzano em Imperatriz. Georges Crauser, presidente da multinacional, ressaltou a política de sustentabilidade econômica e ambiental que rege a atividade da empresa. "Nosso DNA é baseado em inovação e valores que permitam que nossos clientes criem produtos sustentáveis. São 12 milhões de toneladas de celulose produzidas com nossa colaboração só na América do Sul. O espírito de excelência envolve, acima de tudo, compromisso com a comunidade onde operamos com oferta de emprego, além da intensa colaboração com as demandas sociais".