Nota de pesar do MST pelo assassinato do militante Luis Preto ocorrido em Imperatriz


Luis foi mais uma vítima da barbárie, degradação e desumanização. Há indícios de que o motivo de sua morte foi o roubo da moto que pilotava voltando para sua casa no assentamento nas primeiras horas do dia desse domingo (18)

Da Página do MST 

É com imensurável tristeza que nós do Movimento Sem Terra no Maranhão informamos o assassinato de Luís dos Santos Silva, militante da classe trabalhadora, forjado a partir da luta pela terra, em atuação no Sindicato de Trabalhadores Rurais e MST em Imperatriz, Maranhão.

Desde de 1987. Luis Preto, como era conhecido, teve participação e atuação decisiva na consolidação do MST no Maranhão. Foi uma das principais lideranças na conhecida luta pela fazenda Criminosa em Imperatriz, hoje, Assentamento Itacira / Vila Conceição. 


Luis foi mais uma vítima da barbárie, degradação e desumanização. Há indícios de que o motivo de sua morte foi o roubo da moto que pilotava voltando para sua casa no assentamento nas primeiras horas do dia desse domingo (18).


Luis Preto construiu uma família militantes: a filha Letícia Viana é uma das coordenadoras do Setor de Produção do MST MA, os filhos André é militantes do coletivo de Direitos Humanos do Movimento e, por fim, Humberto Viana que colaborou por mais de dois anos na organização da Escola Florestan Fernandes em Guararema (ENFF), São Paulo. Sua companheira, Maria da Penha, é uma educadora da Reforma Agrária desde o processo de acampamento em meados dos anos 80.


Prestamos aqui toda solidariedade e carinho da militância do MST à família e aos amigos e ao assentamento Itacira.


Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra - MA