Três homicídios registrados no final de semana em Imperatriz


O último final de semana em Imperatriz foi um dos mais violentos nesses 6 primeiros meses de 2019. Três pessoas foram assassinadas nas últimas 48 horas. O primeiro homicídio aconteceu no sábado por disparos de arma de fogo, o segundo ocorreu nas primeiras horas de domingo, com a vítima morta a pauladas, e o terceiro aconteceu na noite de domingo por perfuração de arma branca.
Nos três casos apenas um suspeito do crime foi preso em flagrante. O primeiro crime aconteceu por volta das 16h20 de sábado na rua Nove, bairro Imigrantes, região do Grande Santa Rita. A vítima foi identificada como Raimundo Carvalho Sousa Silva, ex-detento da Unidade Prisional de Ressocialização de Imperatriz no ano 2018.
Raimundo foi executado com vários tiros no peito e na cabeça. O crime foi praticado por dois elementos que estavam em uma Saveiro Cross de cor branca. De acordo com informações, a vítima estava em um veículo Gol cinza e estava batendo na porta de uma residência quando o assassino desceu e foi até a sua direção e efetuou um tiro na cabeça. Após a vítima cair no chão, efetuou outros disparos no peito e novamente na cabeça da vítima, que morreu no local. 

O outro homicídio aconteceu nas primeiras horas de domingo(16) na Rua Catulo da Paixão Cearense, bairro Jardim Planalto, próximo a Vila Nova. A vítima de nome Antonio Humberto Arrais, vulgo Bolinha, foi morto a pauladas no meio da rua. Segundo testemunhas, a vítima tinha se envolvido em uma briga. Investigadores da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa iniciaram as investigações na manhã de domingo.
O terceiro homicídio aconteceu na noite de domingo, por volta das 20h, na rua Flamengo, bairro Caema. O homem identificado como Francisco Adimael de Sousa Domfim, 48 anos, conhecido por Tico, foi assassinado com uma perfuração por arma branca no peito esquerdo, a autora do crime foi a companheira de Tico, Adriana Kelly Areia Santos, 34 anos.

Segundo informações de populares, Tico estava na casa de um amigo assistindo um jogo quando ela teria ido chamar e ele disse que não iria. Nesse momento ela foi para sua residência e retornou com uma faca, deferindo uma facada no peito de Tico. Ele não resistiu e morreu no local. 
Tico fazia marabalismo com tochas de fogo nos semáforos da área central de Imperatriz. Nos anos de 1990 foi um dos primeiros skatistas de Imperatriz. 
A companheira, após deferir a facada, correu para sua residência, sendo capturada por populares, que bateram na autora do crime. Duas viaturas da polícia militar chegaram de imediato ao local e impediram o linchamento.
A acusada foi levada ao Socorrão para os atendimento médicos. Ela teve os dois braços quebrados por populares, sendo um braço engessado e o outro terá que passar por cirurgia. Ela foi ouvida no Hospital e autuada em flagrante pelo crime de homicídio.