Homem acusado de morte por estrangulamento é preso pela Policia Civil


Uma ação envolvendo a Polícia Civil do Maranhão, por meio da equipe de policiais da Delegacia Especial do Maiobão e com o apoio da Delegacia de Regional de Santa Inês, resultou na prisão do acusado Lucas Santos Costa, 20 anos. Ele foi preso nesta quarta-feira (17), por conta de ser o acusado no estrangulamento e morte de Bruno Rafael Silva, 23 anos. A ação criminosa aconteceu no dia 24 de junho, na residência da vítima, no Sítio Natureza. O corpo de Bruno Rafael foi encontrado por familiares, embaixo de uma caixa d’agua, de propriedade da vítima, no do Sítio Natureza, no bairro do Turú.

Após ser encaminhado para a Delegacia Especial do Maiobão, o acusado foi ouvido acerca da ação criminosa. O acusado Lucas Santos Costa será investigado por conta dos crimes contra a vida de Bruno Rafael Silva. O crime ocorrido na madrugada de quarta-feira (24), após uma festa na residência da vítima, o Bruno Rafael; onde comemoravam o aniversário da namorada, a Letícia Moura. De acordo com o que fora apurado, haveria tido no interior da casa, uma contenda por conta do relacionamento entre o Bruno Rafael e a sua namorada e o acusado, resultando na morte da vítima. O principal autor do crime estava foragido desde o ocorrido, até ser preso pela Polícia Civil nesta quarta-feira em Santa Inês.

A Delegada titular do Maiobão, Maria Eunice, que está investigando o caso, relatou, que a prisão do acusado se deu na noite desta quarta-feira, em uma pousada em Santa Inês. Ela salientou ainda, que “O autor confesso, teria confirmado a sua participação no caso. A delegada titular do Maiobão repassou ainda, que “As investigações ainda estão em fase de conclusão. Há pontos que ainda estão sem a compreensão definida, pois há contradições no depoimento dos dois. Existem ainda dúvidas, quanto ao envolvimento da namorada da vítima, e acerca da ocultação de cadáver do Bruno Rafael. A prisão do autor Lucas Santos fora por conta de um Mandado de Cumprimento de Prisão Preventiva. Temos ainda um prazo para a conclusão das investigações”, concluí-o a delegada titular.