Homicida é condenado a 20 anos de prisão em Imperatriz


Suspeito de cinco homicídios, Maurílio de Sousa Viana Neto, o Netinho, foi condenado a 20 anos e sete meses de reclusão por um dentre tantos outros crimes cometidos. O julgamento aconteceu nesta quarta-feira (27), no Fórum Henrique de Lá Roque, em Imperatriz.

O homem foi a julgamento pelo assassinato do mecânico Raimundo Rodrigues Cândido, praticado em julho de 2016. Ele foi julgado e condenado pelos crimes de homicídio duplamente qualificado e corrupção de menores, já que o assassinato do mecânico teria ocorrido com a ajuda de um adolescente.

De acordo com as investigações, Raimundo Rodrigues foi morto com três tiros e uma facada na porta de casa, na Vila Vitoria, periferia de Imperatriz. O acusado tinha ido à residência à procura do filho da vítima, com quem tinha uma desavença.

Netinho negou, durante interrogatório, que havia matado Raimundo Rodrigues. Ele está preso desde 2016, acusado de outro crime, a morte do taxista João Machado Aguiar, 58 anos. O taxista foi morto a facadas após ter sido chamado por Netinho para fazer uma corrida. Por esse crime ele ainda vai a julgamento.

De acordo com a Justiça, Netinho é acusado de ter participação em mais três homicídios, somando cinco mortes violentas pelas quais é acusado. Ele nega todos os crimes.