Oferecer um serviço de qualidade em Saneamento Básico para a população de Imperatriz é uma preocupação da vereadora Claudia Batista

 Blog Notícia da Foto 21/10/2021

Realizada na manhã de hoje (21), Audiência Pública na Câmara Municipal, para apresentar o projeto de Lei 017/2021 que trata da criação da Superintendência de Saneamento Básico de Imperatriz.


A iniciativa visa criar um novo modelo de gestão, com a implantação de uma estação de tratamento do esgoto. Atualmente todo o esgoto gerado pela população de Imperatriz é despejado no Rio Tocantins, sem nenhum tipo de tratamento, causando grandes prejuízos ambientais.

Atualmente apenas 25% do que é arrecadado com as tarifas da CAEMA (Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão) é destinado para a manutenção do serviço oferecido em Imperatriz. 75% desses recursos são enviados para São Luís. O montante que fica em Imperatriz não é suficiente para suprir as necessidades da população. 

Só nos últimos 8 anos a CAEMA enviou mais de R$ 200 milhões para a capital do estado, recebendo pouco mais de R$ 25 milhões em serviços. Nesse mesmo período construiu apenas 8 quilômetros de rede de esgoto, sendo que a necessidade de Imperatriz é de uma rede de 300 quilômetros.  



Durante a discussão desta manhã, a vereadora Claudia Batista relatou sobre a dificuldade da população para ter acesso à água encanada. Ela contou que uma moradora do Vila JK desabafou que ainda puxa água de um poço para usar em sua residência, pois a água não chega até onde ela vive.  


Ainda durante seu pronunciamento a parlamentar expressou que resolver esta demanda é de extrema importância para a população de Imperatriz. “75% da população de Imperatriz não tem rede de esgoto. É muito importante que as pessoas sejam atendidas nesse pedido. Saneamento básico é um direito constitucional. Do jeito que está não pode ficar, o esgoto sendo despejado no Rio Tocantins”. Finaliza a vereadora.

Vale ressaltar ainda, que o projeto defende a criação de uma Superintendência de Saneamento Básico de imperatriz e, com essa proposta, busca oferecer um serviço de qualidade para a população que mais sofre com a falta de saneamento e com a falta de acesso ao item mais importante para a saúde e sobrevivência humana, a água.