DEFESA CIVIL Defesa Civil orienta retirada de barracas das praias do Meio e Cacau


Estruturas podem causar danos ao rio e à população, com início do período chuvoso

A Superintendência Municipal de Proteção e Defesa Civil solicitou na manhã desta terça-feira, 21, remoção total das estruturas das barracas erguidas nas praias do Cacau e Meio, em virtude da elevação no volume de água do Rio Tocantins. De acordo com boletim de vazões de defluência do Setor de Operação da Usina Hidrelétrica de Estreito, na tarde de segunda-feira, 20, a vazão foi de 1.076,75 metros cúbicos por segundo.

Segundo o superintendente de Defesa Civil, Josiano Galvão, tanto a associação da Praia do Cacau quanto do Meio foram notificadas da situação. “Os presidentes já estão cientes da situação, inclusive, nos apoiando com a retirada das barracas. No entanto, ainda faltam os protagonistas principais dessa ação, que são os próprios barraqueiros, que precisam entrar em acordo com os presidentes para a retirada do que restou no local” - explica.

Segundo ele, a previsão é que até 25 de novembro a vazão alcance 3.000 m3/s, podendo causar inundações e prejuízos aos barraqueiros e danos ao meio ambiente. “Com o período das chuvas que se inicia, as estruturas das barracas no local podem ser levadas pelas enxurradas, causando com isso, poluição, dano material e ambiental ao Rio Tocantins, além de oferecer riscos para a própria população” - destaca superintendente, ao afirmar que todos os trabalhos estão sendo elaborados no sentido de minimizar possíveis transtornos.