QUEDA NO CONTÁGIO: EM UMA SEMANA, OCUPAÇÃO DE LEITOS CLÍNICOS DA REDE ESTADUAL CAI PELA METADE EM SÃO LUÍS

Noticia da Foto 10/06/2020


Soma de esforços resulta nessa redução expressiva
Uma redução de quase 50% na taxa de ocupação de leitos clínicos exclusivos para pacientes do Covid-19 separa o dia 29 de maio do dia 8 de junho, na rede pública estadual da grande Ilha de São Luís. No prazo de uma semana, o número de pacientes ocupando este tipo leito caiu de 396 para 191. Em coletiva virtual realizada na manhã de segunda-feira (8), o governador Flávio Dino apontou que essa diminuição representa uma queda no número de casos da doença no Maranhão. 

Para efeito de visualização, no dia 29 de maio, chegou-se a ter 52,66% dos 752 leitos clínicos exclusivo para pacientes com Covid-19 ocupados. Já no dia 8 do mês seguinte, esta taxa já representava 25,40% do total. 


Referindo-se aos dados de ocupação divulgados pela Secretaria de Estado da Saúde no dia anterior à coletiva (7), o governador Flávio Dino fez uma comparação com o momento em que a curva de contágio alcançou números elevados na Ilha. “De leitos clínicos nós tínhamos (no dia 7) 563 leitos vagos na rede estadual em São Luís. E esse é um indicador objetivo, incontrastável, indiscutível, de que nós temos declínio dos casos de coronavírus, porque nós chegamos a ter ocupação aqui de 70%”, comparou. 

Uma soma de esforços resulta nessa redução expressiva, dentre as quais a estratégia lançada pelo Maranhão em primeira mão no Brasil, do lockdown. Com a restrição mais firme da política de isolamento, foi possível reduzir os casos de contágio e, por conseguinte, a ocupação hospitalar. 


O aumento considerável do número de testagem também tem impacto direto. Quanto mais cedo o diagnóstico no paciente, mais rápido se iniciam os tratamentos e menos chance de evolução grave da doença. 
Imperatriz 


Imperatriz, segunda maior cidade do estado – que, como a capital, chegou a ter números preocupantes de contágio -, também registrou queda na ocupação de leitos clínicos nesse mesmo período. No dia 29/05, 100% dos leitos clínicos estavam ocupados, já no dia 08/06, eram 81,48%. 

Leitos de UTI 


Nesse mesmo período, com uma redução na demanda hospitalar estadual na capital maranhense, passou-se a receber pacientes em estado grave das mais diversas regiões do Maranhão. 


Ao que confirmou Flávio Dino, durante coletiva: “São 240 leitos de UTI na Ilha de São Luís, dos quais no dia 7 estavam ocupados 219, e 21 leitos estavam livres na rede estadual. Grande parte desses pacientes já não são oriundos da ilha de São Luís e, sim, oriundos de outras cidades do Maranhão”. 


Para assegurar a transferência segura e rápida desses pacientes, além da aquisição e repasse de novas ambulâncias equipadas com UTI a municípios maranhenses, o Governo do Estado alugou avião, para UTI aérea.