Eliziane Gama: Financiamento de atos pró-governo em 7 de setembro deve estar na mira da CPI

 Notícia da Foto 03/09/2021


A gente percebe um investimento, um incentivo a conflagrar a cada dia a Nação brasileira” , diz a senadora sobre o prefeito gaúcho preso pela PF, em São Paulo, com R$ 505 mil tentando embarcar para Brasília (Foto: Jéssica Marschner)

A senadora Eliziane Gama (Cidadania-MA) defendeu, nesta quarta-feira (1º), que possíveis investimentos em atos pró-governo convocados para o dia 7 de setembro devem estar na mira da CPI da Pandemia, após a apreensão pela Polícia Federal de R$ 505 mil com o prefeito de Cerro Grande do Sul, Gilmar João Alba (PSL), no dia 26 de agosto, no aeroporto de Congonhas, em São Paulo.

“Quinhentos e cinquenta mil reais é muito dinheiro para ser transportado da forma como a gente está agora acompanhando. O fato que nós estamos a investigar neste momento é o [caso] desse prefeito”, cobrou a senadora.

Eliziane Gama lembrou durante sessão da CPI da Pandemia existir vídeo no YouTube no qual o presidente Jair Bolsnaro, quando era deputado federal, defendia a necessidade de uma guerra civil no Brasil.

“E [agora]a gente percebe um investimento, um incentivo a conflagrar a cada dia a Nação brasileira. Nós não estamos vivendo uma grave crise institucional que se requeira, por exemplo, ir para as ruas fazer esse tipo de manifestação. É uma tentativa às inversas, é uma tentativa de dividir o Brasil, de criar uma cisão no Brasil”, afirmou, ao criticar a convocação dos atos pró-governo no dia da independência do País.

Diante da prisão do prefeito Cerro Grande do Sul denunciada pelo senador Humberto Costa (PT-PE) à CPI, os parlamentares pediram que o presidente do colegiado, Omar Aziz (PSD-AM), comunique ao STF (Supremo Tribunal Federal) indícios de que R$ 505 mil apreendidos pela PF seriam usados para financiar manifestações pró-governo em 7 de setembro.

“Sete de setembro é uma data cívica para o Brasil, é uma data de paz, de confraternização, em que a gente fazia as manifestações escolares. Não há espaço para o que o presidente tenta colocar neste momento que é dividir o Brasil, criar cizânia. Ele faz e caminha pelo Brasil afora com manifestações de uma forma inaceitável, com os aumentos exorbitantes [dos preços dos alimentos, dos combustíveis e da energia elétrica ], com a volta da inflação, coisa que a gente não vinha desde o Plano Real e que a gente começa a vivenciar de novo neste momento na Nação brasileira”, criticou Eliziane Gama. (Da Assessoria)