Mau exemplo, ex-assessor da Coomigasp Tony Duarte tentar espalhar terror entre os garimpeiros

Há poucos dias ganhou a mídia notícias que a Coomigasp (Cooperativa dos Garimpeiros de Serra Pelada) e a mineradora canadense Colossus estaria em desacordo em alguns pontos sobre a nova mina da Serra Pelada, que entrará em operação no final do primeiro semestre de 2013, além de colocar em cheque todo o projeto que há anos estão estabelecendo com aval do ministro das Minas e Energia Edison Lobão.
É estranho notar que essas informações partem justamente do jornalista Toni Duarte que há pouco tempo tinha seu site (www.agaspbrasil.com.br) “patrocinado” pela cooperativa. Em reportagem apresentada no programa 24 horas na TV Capital, aparece vídeo recente onde Duarte faz “juras de amor”, elogiando e potencializando a diretoria da Coomigasp. Segundo o apresentador Conor Farias, o jornalista teria perdido a “boquinha” e, de barriga vazia, começou a espernear.
A postagem aqui é justamente para assinalar que o expediente usado por Toni Duarte (ironicamente, assumiu pra si a causa dos garimpeiros sem nunca ter subido ou descido um barranco na vida), faz jus a uma prática comum nos bastidores políticos, que acomodado pela forma de fazer “assessoria”, contrariado, aposta em boatos e fuxicos para ser ouvido. Às vésperas das eleições municipais, toda má sorte de informação deve pipocar por aí, não apenas nos blogues, que são meios não oficiais, mas também em colunas de jornais que se comportam de maneira oficiosa.
Em meio a toda essa gama de informações distorcidas ou não, cabe ao leitor saber fazer a “leitura” do momento político, as conveniências e as articulações, que longe do senso de interpretação, não segue uma regra lógica nos acordos de gabinetes.